Previsão do tempo
18°
28°
Pancadas de Chuva pela Manhã

Ave Maria

Paróquia de Barracão

Som Brasil

Laudinor Dalvani

Notícias
Geral
IBGE revela os nomes mais comuns do Brasil; procure o seu
Para o sexo feminino, Maria e Ana se mantêm estáveis em primeiro e segundo lugar

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou nesta quarta-feira (27) os nomes mais frequentes no Brasil, identificados pelo Censo Demográfico 2010. Para as mulheres, Maria é o preferido, com uma frequência de 11,7 milhões de pessoas. Já para os homens, José é o mais comum, com 5,7 milhões.

A pesquisa observou 130.348 nomes diferentes na população brasileira, 63.456 masculinos e 72.814 femininos, sendo que há nomes comuns aos dois sexos e apenas o primeiro foi considerado.

Para o sexo feminino, Maria e Ana se mantêm estáveis em primeiro e segundo lugar, respectivamente, para todas as décadas. Na terceira posição, Francisca aparece até a década de 1950, Marcia nos anos 1960, Adriana na década de 1970, Juliana na década de 1980, Jessica na década de 1990 e Vitoria nos anos 2000.

Para o sexo masculino, Jose e Antonio aparecem em primeiro e segundo lugar, respectivamente, até a década de 1980. Na década de 1990, Lucas subiu à primeira posição e Jose caiu para a segunda. Já nos anos 2000, Joao ficou em primeiro e Gabriel apareceu na segunda posição. Até os anos 1960 e na década de 1990, Joao aparece na terceira posição, que foi ocupada por Francisco, na década de 1970 e 1980, e Lucas, nos anos 2000.

Por outro lado, ganharam popularidade nos anos 2000 nomes como Caua, Rian, Enzo, Kailane e Sophia.

É interessante observar o comportamento de nomes de pessoas famosas e personagens que marcaram época. O nome Dara, por exemplo, personagem de uma novela nos anos 1990, cresceu 4.592% nessa década. Nos anos 2000, o nome Caua cresceu 3.924%, provavelmente influenciado por um ator famoso. Dentre os esportistas, o nome Romario explodiu na década de 1980, quando cresceu 402%, aumentando, ainda, 278% na década de 1990. Ayrton foi bastante utilizado na década de 1990, crescendo 269% nesse período. Zico teve seu auge de registros nos anos 1980, quando nomeou 300 pessoas. Já o nome Pele apresentou 35 registros nos anos 1960, aparecendo ainda nas décadas de 1970 e 1980.

Veja Também
Polícia
Motorista fica ferido em colisão
Geral
Comissão aprova relatório que regulamenta a PEC das Domésticas
Saúde
Greve do INSS é encerrada na maior parte do país
Polícia
Mãe e filho perdem a vida após colisão frontal na PR-281
Esportes
CBF anuncia premiação de R$ 60 milhões aos clubes do Brasileirão 2016
Educação
Inscrições do ProUni para o 1º semestre terminam nesta sexta-feira