Previsão do tempo
20°
Parcialmente Nublado

Chimarreando com a Fronteira

Loreno da Silva

Som Brasil

Laudinor Dalvani

Notícias
Geral
Polícia Civil prende envolvidos em desvio de dinheiro do BB

O ex-gerente geral de uma agência do Banco do Brasil em Curitiba, um contador e empresários foram presos nesta terça-feira (17) em operação deflagrada pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), da Polícia Civil do Paraná, em quatro estados do Brasil. Eles são suspeitos de desviar mais de R$ 10 milhões, com o envolvimento direto do ex-gerente geral da agência.

Dois empresários, um do Paraná e outro de Goiás, estão foragidos e as forças policiais dos dois estados trabalham para localizá-los. Os documentos e celulares apreendidos durante a operação serão encaminhados para a perícia.

A ação policial, batizada de “Sangria”, aconteceu também nos estados de São Paulo e Brasília. Ao todo, foram cumpridos 52 mandados judiciais: cinco de prisão temporária, outros sete de condução coercitiva, cinco de bloqueios de bens, 19 de busca e apreensão e 16 bloqueios de contas bancárias.

A investigação durou pouco mais de um ano, segundo o delegado titular da DFR, Mateus Layola. “Houve a quebra de sigilo bancário dos envolvidos. A gente consegue identificar as impressões digitais direta e indiretamente na prática criminosa, cada um com sua função. O ex-gerente e o contador tinham participação direta, porque tinham poder de decisão para praticar o desvio de dinheiro”, explicou o delegado.

O esquema criminoso contava ainda com a participação de um contador, que abria contas bancárias sem o conhecimento dos donos das empresas e com documentos falsos. Com estes dados, ele repassava para o gerente-geral que, por sua vez, realizava empréstimos financeiros e antecipações de títulos.

“O contador, quando soube que estávamos ouvindo pessoas aqui na delegacia, chegou a oferecer R$ 50 mil para um dos sócios de uma das empresas para que ele negasse a prática criminosa”, completou Layola.

O ex-gerente chegou a alterar o cadastro de empresários no sistema do banco, sem que eles soubessem, para que as transferências bancárias fossem realizadas. Estes recursos eram transferidos, posteriormente, para contas de empresas envolvidas com a quadrilha.

Os donos destas empresas estão entre os detidos. Eles responderão pelos crimes de peculato (desvio de dinheiro público), falsificação de documento público e particulares, expedição de duplicatas simuladas, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Cerca de 80 policiais civis dos quatro estados participaram da operação. Além dos policiais da DFR, participaram as delegacia de Furtos e Roubos de Veículos; de Desvio de Cargas e do Tático Integrado Grupo de Repressão Especial (Tigre) - unidade de elite da Polícia Civil, além de policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais de Goiás, Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos, de São Paulo e da Divisão de Capturas e da Polícia Interestadual de Brasília.

 

 

 

Com informações do portal Plantão Policial FB (PPNEWSFB)

Veja Também
Geral
Prefeito de Francisco Beltrão anuncia nova rodoviária municipal
Polícia
Vizinhos se desentendem por som alto no Distrito de Idamar
Geral
Acidente frontal faz duas vítimas fatais
Geral
Governo edita decreto e permite uso do CPF no lugar de outros documentos
Polícia
Masculino acusado de envolvimento com menor tem que se explicar à Polícia
Geral
Saiba como ficou definido o Calendário Eleitoral de 2018