Previsão do tempo
14°
22°
Variação de Nebulosidade

Clube do Povo

Doalcei Alves

Rota 94

Adriana Riva

Notícias
Geral
Barroso prorroga por mais 60 dias inquérito que apura se Temer favoreceu empresas portuárias em troca de propina

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu prorrogar por mais 60 dias o inquérito que investiga se o presidente Michel Temer favoreceu empresas portuárias em troca de propina. Na mesma decisão, o ministro negou o pedido da defesa de Temer para arquivar a investigação.

O inquérito foi aberto no ano passado a partir de depoimentos em delação premiada de executivos do grupo J&F e apura se um decreto editado por Temer tinha por objetivo beneficar empresas que atuam no porto de Santos (SP), o maior do país. O presidente nega que o decreto tivesse essa finalidade.

A Polícia Federal fez o pedido de prorrogação no último dia 26. Foi o segundo pedido da PF para prolongar o prazo da investigação. Em 27 de fevereiro, o ministro Barroso já havia concedido uma prorrogação.

O pedido da Polícia Federal foi motivado pela necessidade de análise da quebra de sigilo bancário do presidente, autorizada em março por Barroso e para que seja feita uma análise do material colhido na Operação Skala, que prendeu amigos de Temer e empresários do setor do portos. Em parecer, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, concordou com o pedido da PF.

Sobre o pedido da defesa de Michel Temer de arquivamento do inquérito, o ministro disse que é preciso aguardar a coleta de provas em andamento.

 

Veja Também
Geral
Ministro assume compromisso na viabilização de recursos para novos equipamentos do frigorífico de Aves do Assentamento
Economia
Em janeiro, 28,9 mil postos formais de trabalho foram criados
Geral
Cachorro fica mais feliz com carinho do que com comida, revela pesquisa
Polícia
ACIDENTE DE TRANSITO
Polícia
Suspeito de matar filho no Oeste de SC se apresenta à polícia e confessa crime
Geral
Vereador Clodoaldo Alves do Santos de Bom Jesus do Sul afirma que legisladores do município emitirão nota de repúdio contra a Reforma da Previdência