Previsão do tempo
16°
25°
Pancadas de Chuva a Tarde
Notícias
Geral
STF decide que Polícia Federal também pode fazer acordo de delação premiada

O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira (20) que os delegados das polícias Civil e Federal podem negociar delações premiadas, e não apenas membros do Ministério Público.

A decisão, tomada por 10 votos a 1, coloca fim à disputa entre MPF e Polícia Federal, que duelam desde o início da Operação Lava Jato sobre a primazia da delação.

Para os procuradores, a atribuição é exclusiva do Ministério Público, já que a instituição é responsável pela acusação na ação penal. Por outro lado, os policiais federais afirmam que a PF não pode abrir mão da prerrogativa, já que a delação é um importante instrumento de investigação. De acordo com eles, a lei sobre organizações criminosas (12.850/2013) permite esse direito.

O julgamento, iniciado em dezembro do ano passado, foi interrompido quando o placar estava em seis a um a favor das delações negociadas pelas polícias.

O ministro Edson Fachin foi o único membro da Corte que votou contra a possibilidade. Em dezembro, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Dias Toffoli já haviam seguido o entendimento do relator do caso, Marco Aurélio Mello.

Segundo Marco Aurélio, da mesma forma que um procurador, a PF também pode oferecer benefícios a um investigado em troca de colaboração. No entanto, em ambos os casos, a palavra final é sempre de um magistrado.

Na sessão desta quarta, a questão acabou sendo definida com os votos dos ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e da presidente, Cármen Lúcia.

Veja Também
Esportes
Mais de 600 atletas estarão reunidos no JASC de Palma Sola
Polícia
Falsa comunicação de golpe em Barracão
Polícia
Mulher suspeita de envenenar merenda em escola do RS responderá por 39 tentativas de homicídio
Geral
Indivíduo desrespeita ordem judicial e caso vai pra Delegacia em Barracão
Geral
No Brasil, 82% acham que é fácil desrespeitar às leis
Geral
Mercado financeiro eleva previsão de inflação e PIB