Previsão do tempo
20°
31°
Possibilidade de Pancadas de Chuva à Tarde

Nossa Terra Nossa Gente

Jeferson Rodrigues

Trânsito Livre

Loivo Miguel

Notícias
Mundo
Furacão Sandy mata 16 nos EUA e no Canadá e inunda e paralisa Nova York
Mortes nos EUA ocorreram em seis estados; uma pessoa desapareceu. Prefeito nova-iorquino pediu à população para não sair de casa

 

O furacão Sandy começou a varrer a Costa Leste dos EUA na noite desta segunda-feira (29), matando pelo menos 15 pessoas nos Estados Unidos e uma no Canadá.

A ilha de Manhattan ficou alagada, caótica e com um grande apagão, informaram os serviços de emergência e testemunhas.

No Estado de Nova York, Sandy matou 7 pessoas, incluindo um homem de 30 anos atingido pela queda de uma árvore no Queens, disse um porta-voz do governador Andrew Cuomo.

Em Nova Jersey, há três mortos, dois deles atingidos por uma árvore, que caiu sobre um carro no condado de Morris, segundo os serviços de emergência.

Duas pessoas morreram na Pensilvânia, uma atingida por árvore e outra no desabamento de uma casa, informaram as autoridades locais.

Em Maryland, uma mulher bateu com o carro em uma árvore e morreu.

Na Virgínia Ocidental, outra mulher, de 48 anos, colidiu com um caminhão em meio a uma tempestade provocada por Sandy, informou a polícia.

No Atlântico, na Costa da Carolina do Norte, uma tripulante de um veleiro réplica do HMS Bounty morreu no hospital após ser resgatada no mar e levada a um hospital. O capitão do barco permanece desaparecido.

Sandy tocou a terra na noite desta segunda pela costa de Nova Jersey como tempestade extratropical, com ventos de 130 km/h e deslocando-se a 37 km/h.

Fonte G1

Veja Também
Polícia
Veículo furtado em Dionísio Cerqueira
Polícia
Operação conjunta apreende 5 caminhões com cigarros contrabandeados do Paraguai no PR
Polícia
Motorista foge após atropelar e matar pedestre
Polícia
Feriado tem 11 mortes e 140 acidentes nas estradas federais do Paraná
Manutenção da rede de iluminação pública de Dionísio Cerqueira inicia na próxima semana
Geral
Trabalhadores contestam retomada da privatização da Eletrobras e dizem que não houve acordo para a decisão do TRT