Previsão do tempo
16°

Brasil de Sul a Norte

Doalcei Alves

Bom dia Fronteira

Itamar Soares

Notícias
Geral
Nascidos em agosto sem conta na Caixa podem sacar FGTS

A Caixa Econômica Federal inicia nesta sexta-feira, dia 29, mais uma etapa de liberação do saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que paga até R$ 500 por conta ativa ou inativa. Os trabalhadores nascidos em junho e julho sem conta no banco poderão retirar o dinheiro.

O saque começou em setembro para quem tem poupança ou conta corrente na Caixa, com crédito automático. Segundo a Caixa, no total os saques do FGTS podem resultar em uma liberação de cerca de R$ 40 bilhões na economia até o fim do ano.

Atendimento

Os saques de até R$ 500 podem ser feitos nas casas lotéricas e terminais de autoatendimento para quem tem senha do cartão cidadão. Quem tem cartão cidadão e senha pode sacar nos correspondentes Caixa Aqui, apresentando documento de identificação, ou em qualquer outro canal de atendimento.


No caso dos saques de até R$ 100, a orientação da Caixa é procurar casas lotéricas, com apresentação de documento de identificação original com foto. Segundo a Caixa, mais de 20 milhões de trabalhadores podem fazer o saque só com o documento de identificação nas lotéricas. Quem não tem senha e cartão cidadão e vai sacar mais de R$ 100, deve procurar uma agência da Caixa.
Embora não seja obrigatório, a Caixa orienta, para facilitar o atendimento, que o trabalhador leve também a carteira de trabalho para fazer o saque. Segundo o banco, o documento pode ser necessário para atualizar dados.
A data limite para saque é 31 de março de 2020. Caso o saque não seja feito até essa data, os valores retornam para a conta do FGTS do trabalhador.

Veja Também
Polícia
Pedreiro é alvo de ladrões durante construção
Polícia
SAS – Casal é detido com munições de procedência argentina
Polícia
PRF realiza cinco apreensões de drogas em ônibus
Geral
Relator de ação contra chapa Dilma-Temer libera processo para julgamento
Geral
Consumidor pode vir a escolher fornecedor de energia elétrica
Geral
Ministério do Trabalho não será autônomo e ficará vinculado a outra pasta