Previsão do tempo
16°
26°
Pancadas de Chuva a Tarde

Jornal da Manhã

Cláudio Saccol

Bom dia Fronteira

Jeferson Rodrigues

Notícias
Governo de SC vive epidemia de licenças para tratamento de saúde
A rede estadual de ensino é líder no número de afastamentos.

 

Inchaço da folha, queda na arrecadação, baixa capacidade de investimentos. Além dos problemas habituais que o Estado enfrenta, uma epidemia silenciosa tem prejudicado ano a ano o funcionamento da máquina administrativa estadual: o número de licenças médicas para tratamento de saúde.

Só no ano passado, a Diretoria de Saúde do Servidor, ligada à Secretaria de Administração, concedeu 9.986 licenças. Em um universo de pouco mais de 75 mil servidores ativos, o problema consumiu 13,2% da força de trabalho do funcionalismo público.

De acordo com a base de dados do INSS, 2.79% dos mais de 47,8 milhões de trabalhadores brasileiros com carteira assinada foram afastados por motivos de saúde entre os meses de janeiro a setembro de 2012. Em Santa Catarina, no mesmo período, 4,71% dos mais de 2,1 milhões de trabalhadores da iniciativa privada passaram pelo INSS à para obter o benefício.

A rede estadual de ensino é líder no número de afastamentos. Só no ano passado, foram 5.694 licenças para servidores da pasta, o que representa 57% do total apurado pela gerência de perícias.

Outro problema que funcionários da Educação dizem presenciar seria a existência dos chamados "profissionais do atestado". Como é possível obter atestados de até três dias sem precisar passar pela perícia, há servidores que aproveitam determinadas datas para apresentá-los, sem estar com problemas de saúde reais. Um exemplo citado por uma fonte que preferiu não se identificar ocorre quando o mês termina em um final de semana.

O número de afastamentos no governo estadual não chega a ser considerado uma surpresa pela gerência de perícias médicas da Secretaria de Administração. Segundo Rosana Maffessoni Driessen, que coordena o setor há três anos, o número vem se mantendo estável. Os transtornos mentais e comportamentais, como stress e depressão, são os principais motivos de afastamento em 34% dos casos.

Veja Também
Geral
Vereadores de Paraíso localizam veículo furtado do setor da saúde na Argentina
Geral
Servidores da agência do INSS em São Miguel do Oeste aderem à greve nacional
Polícia
Colega de trabalho é acusada de mandar matar Advogado em Chopinzinho
Geral
Contran suspende por 60 dias início da implantação do novo padrão de placas para veículos
Polícia
PM registra autuações de trânsito
Geral
Juíza Branca Bernardi divide com a população de Barracão, sucesso em 10 anos de atividades na Comarca