Previsão do tempo
20°
31°
Parcialmente Nublado

Clube do Povo

Doalcei Alves

Rota 94

Adriana Riva

Notícias
Geral
A Lição do Avental
Que “páscoa” você vai priorizar: do estômago ou do espírito?

 

Assim que termina a caminhada quaresmal, iremos vivenciar o clima da Semana Santa. A cada ano temos a oportunidade de atualizar a Páscoa de Jesus de Nazaré em nossas vidas. Em 2013 estamos dando um enfoque maior para a paixão, morte e ressurreição de nossa juventude. Estamos na iminência de celebrar o Mistério Pascal de forma verdadeira, isto é, passando da tristeza para a alegria, das opressões para a liberdade, da escravidão para a dignidade. Caso contrário, iremos cambiar o essencial pelo periférico: ficaremos apenas na recordação da via-sacra que aconteceu há quase dois milênios, com teatros espetaculares, e na corrida desenfreada em busca de chocolates.

Na visão mercadológica, a Páscoa é mais uma ocasião para o público consumidor comprar, comer, beber, presentear, etc. E quem não tem dinheiro? Fica excluído automaticamente, contentando-se em satisfazer seus desejos no espaço virtual. A Boa Nova é que na mesa cristã tem lugar para todos e todas. Basta unicamente preparar-se e cumprir a ordem que veio acompanhada do sinal das cinzas: “Converta-se e creia no Evangelho”.

João, (cf. o capítulo 13, no lava-pés que antecede a ceia), provoca uma reviravolta nos leitores e leitoras: passar da lógica do poder à lógica do serviço. O diabo entra em ação no Cenáculo. Bola um projeto de traição. Ele é feito para ser “burro”. Não entende nada de matemática. Só sabe subtrair e dividir. Nada de somar e multiplicar. Sua burrice é diretamente proporcional à sua maldade. Só o bem soma e multiplica. O mal devassa, rouba, mata, racha... Implanta a lógica dominadora. Semeia individualismo e egoísmo. Transforma os amigos em inimigos. Mina a fraternidade. Instiga à traição. Entra na comunidade e acaba com tudo. É neste contexto, na pior noite de sua vida, com o diabo solto por aí, que Jesus faz um gesto impensável: veste um avental, se dobra diante dos apóstolos e lava seus pés. Depois senta. Nada de tirar o avental. Este passa a fazer parte dos trajes da Igreja. Torna-se peça obrigatória do vestuário da comunidade cristã. É assimilado no DNA, no patrimônio genético do discípulo. Torna-se a marca registrada de seu estilo de presença no mundo.

O avental da última ceia anuncia que a vida de Deus é, em primeiro lugar, serviço. Competições, rivalidades, espírito de superioridade, busca obsessiva de elogios, absolutização dos próprios interesses, soberba e orgulho matam a vida de Deus nas comunidades. Cadê o nosso avental? Lavado, passado e guardado no fundo do baú cheirando a naftalina, ou devidamente vestido e integrado na nossa prática pastoral e social? Que “páscoa” você vai priorizar: do estômago ou do espírito?

Pe. Cleto João Stülp, Dionísio Cerqueira, 22 de março de 2013.

Veja Também
Economia
Luta contra alta do dólar deve durar até o fim do ano
Polícia
Jovem de Xanxerê morre em acidente no Paraná
Geral
Contran aprova carteira de habilitação digital
Geral
Correios avaliam demissão de concursados
Polícia
PRF recupera motocicleta furtada na posse de menores
Polícia
Incêndio em vegetação põe em risco fábrica de calçados em Barracão